Sábado
17 de Fevereiro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
33ºC
Min
23ºC
Possibilidade de Chu

Domingo - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,24 3,24
EURO 4,03 4,03
LIBRA ES ... 4,54 4,55
GUARANI 0,00 0,00

Últimas notícias

Romanzza Neme converte em preventiva a prisão do casal acusado de esfaquear empresário

* O Globo – Ancelmo Gois Sergiara de Oliveira Ribeiro coloca droga em bebida de empresário | Reprodução A juíza Romanzza Roberta Neme, da Central de Custódia de Benfica, converteu na sexta-feira (2) em preventiva (ou seja: sem prazo) a prisão em flagrante do casal Sergiara de Oliveira Ribeiro e Victor Hugo Dias Almeida, acusado de esfaquear o empresário Roberto Del Cima, na Barra, quarta-feira (31). Eles foram presos, quinta (1), em Juiz de Fora (MG). Sergiara marcou encontro com a vítima, por meio do aplicativo de relacionamento “Tinder”, usando o nome de Vivian. Eles combinaram um jantar na casa do empresário e ela chegou de carro, com o noivo e cúmplice escondido no porta-malas. Após dopar o empresário, o casal esfaqueou a vítima e fugiu, levando joias e relógio, entre outros pertences. Leia também: TJ instala em maio o Banco Nacional de Monitoramento de Prisões Tribunal propõe plano de rotas para condução de presos ao interior Órgão Especial vota remoção de juízes no dia 19 “Face à gravidade do crime, em que se ludibriou a vítima que, posteriormente, foi violentamente agredida com facadas, e o fato de ambos os custodiados terem empreendido fuga, frise-se, vindo a serem os custodiados presos em outro estado da federação, necessária é a prisão em razão da garantia da instrução criminal e da aplicação da lei penal, eis que denota que as demais medidas cautelares persas da prisão se revelam inadequadas ou insuficientes, inclusive por ainda não terem sido a vítima e as testemunhas ouvidas em juízo”, frisou a juíza, na decisão.
Visitas no site:  128521
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.