Quinta-feira
13 de Dezembro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
36ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Rio de J...

Máx
36ºC
Min
23ºC
Poss. de Panc. de Ch

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,86 3,86
EURO 4,39 4,39
LIBRA ES ... 4,88 4,88
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Proposta para unir PIS/Cofins já está pronta e segue para o Congresso

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, disse ontem que o governo deve encaminhar em breve a proposta de reforma do PIS/Cofins ao Congresso Nacional com objetivo de unificar os dois tributos. Segundo ele, os trabalhos da Receita acerca do tema já estão concluídos. “Já temos a proposta pronta, mas evidentemente precisa de uma apresentação para as esferas superiores para validação do que estamos tratando”, disse. Segundo ele, a proposta da Receita é alterar primeiro o PIS (que representa pouco menos de 1% do PIB em termos de arrecadação e, portanto, tem impacto menor), para “testar” o modelo. Depois disso, a ideia é mexer na Cofins – de forma a unificar os dois. Juntos, PIS e Cofins alcançam 4% do PIB em receitas. Ele afirma que a ideia é aproximar o modelo tributário brasileiro às regras vistas internacionalmente. “Temos que levar nosso sistema tributário para um modelo que o mundo conheça. Estamos debatendo junto ao Congresso para buscar o mais rápido possível a convergência para um modelo padrão”, disse. Rachid disse que o projeto vai continuar atendendo setores econômicos que usam a chamada regra da cumulatividade, principalmente o de serviços. “Os atuais setores que estão na cumulatividade permanecerão”, disse. O secretário fez as declarações após participar de seminário sobre tributação em Brasília. Ele também disse que o país precisa ficar atento a outro tema – o das mudanças no sistema tributário promovidas recentemente por países como Estados Unidos e Argentina. Para Rachid, o governo deve acompanhar e discutir o tema e pensar em uma tributação que facilite acordos internacionais e que também não gere distorção ou faça as empresas saírem do país. Rachid ainda criticou o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert, também conhecido como Refis). Segundo ele, dados de janeiro revelam que os devedores tinham recursos para quitar seus débitos – o que mostraria como empresas administram suas finanças apenas aguardando esse tipo de pacote. “Em janeiro, muitas empresas pagaram à vista para se beneficiar de menos juros e multas. As empresas tinham isso em caixa”, disse Rachid. Do recolhimento com o Refis em janeiro (R$ 7,9 bilhões), quase metade correspondeu a pagamentos feitos à vista.
07/03/2018 (00:00)
Visitas no site:  191214
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.