Quinta-feira
13 de Dezembro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
36ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Rio de J...

Máx
36ºC
Min
23ºC
Poss. de Panc. de Ch

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,86 3,86
EURO 4,39 4,39
LIBRA ES ... 4,88 4,88
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Ministra Cármen Lúcia considera excelente trabalho de Infância e Juventude do TJRJ

O Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) está desenvolvendo um excelente trabalho na área da Infância e Juventude de acompanhamento das crianças filhas de presidiárias. A avaliação é da presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, após visita à Unidade Materno Infantil e à penitenciária Talavera Bruce, em Bangu, Zona Oeste do Rio, nesta segunda-feira, primeiro dia da 10ª Semana da Justiça pela Paz em Casa. A visita contou com a presença do presidente do TJRJ, desembargador Milton Fernandes de Souza. “É um trabalho diferenciado. A ministra busca que nenhum brasileirinho nasça na prisão. Além disso, deve haver condição para que essa criança fique com a mãe, assim como deve haver um atendimento específico para as gestantes”, afirmou a juíza auxiliar da Presidência do CNJ Andremara dos Santos, que também acompanhou a ministra na visita. “A atuação da ministra em relação à Política Nacional Judiciária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres é positiva para imprimir uma perspectiva de gênero à atuação do Judiciário”. Ela destacou que o sistema presidiário não foi feito para as mulheres, mas deve ser adaptado às suas necessidades, com a disponibilização de vacinas para as gestantes, entre outras necessidades. “A violência contra a mulher deve ser combatida também na perspectiva institucional. É necessário esse olhar diferenciado”, disse. Durante a visita à penitenciária feminina, a ministra conversou com detentas, perguntando informações como número de filhos e se era a primeira vez que estava ali, e verificou as instalações da unidade. Durante a vinda ao Rio, o juiz auxiliar da Presidência do CNJ Júlio Ferreira de Andrade destacou a criação do Cadastro de Presas Grávidas e Lactantes, que já conta com os dados de 600 presas. “Houve uma integração, mas cada caso deverá ser examinado pelo juiz competente”, afirmou. Ainda de acordo com o magistrado, está sendo alimentado pelos tribunais do país, incluindo o TJRJ, o sistema do Cadastro Nacional de Presos do Judiciário, desenvolvido pelo CNJ e previsto para estar com os dados consolidados até o fim de maio. “O Tribunal de Justiça do Rio tem grande importância para o cadastro”, afirmou. O novo sistema permitirá que sejam feitas pesquisas por tipo de infração penal e pelo nome do preso. Atualmente, há mais de 400 mil presos cadastrados. O juiz avaliou como positiva a visita de hoje. “É muito importante que o CNJ tenha dados concretos para desenvolver bem seus projetos, para que tenham os olhos na prática”, disse o magistrado. SP/ SF
05/03/2018 (00:00)
Visitas no site:  191250
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.