Terça-feira
11 de Dezembro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
33ºC
Min
21ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de ...

Máx
33ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,91 3,91
EURO 4,46 4,46
LIBRA ES ... 4,94 4,94
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Governo revisa antidumping imposto à importação de leite da Nova Zelândia e UE

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços começou a revisar nesta semana a aplicação de medidas de defesa comercial às importações brasileiras de leite em pó ou granulado provenientes da Nova Zelândia e da União Europeia. Atualmente, esses produtos são sobretaxados em, respectivamente, 3,9% e 14,8%, valores que continuarão em vigor até o fim do processo de revisão. O Brasil instituiu medidas antidumping contra os produtos em fevereiro de 2001. Desde então, o receio de que a importação possa prejudicar os produtores nacionais motivou a prorrogação das medidas antidumping em 2006 e em 2013. A vigência da medida seria encerrada na última terça-feira (6). Uma circular da Secretaria de Comércio Exterior, que instituiu a terceira revisão das medidas, diz que um parecer do Departamento de Defesa Comercial (Decom) indica “elementos suficientes” para que a extinção do direito antidumping, no caso, ocasione a retomada do dumping nas exportações de leite em pó neozelandês e da União Europeia, com danos à indústria nacional. De acordo com o texto da circular, entre julho de 2016 e junho de 2017 não foram identificadas importações do produto neozelandês. As importações da União Europeia representaram 0,1% do produto total adquirido pelo Brasil no exterior. Segundo o ministério, o dumping ocorre quando uma empresa estrangeira vende a outro país um produto por preço inferior ao cobrado em seu país de origem – o que, internacionalmente, é considerada como prática desleal de comércio. As medidas antidumping podem ser suspensas mediante a assinatura, pelas empresas exportadoras e autoridades nacionais, de um compromisso de preços. Nota Em nota, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que representa o setor leiteiro na investigação de dumping nas importações de leite em pó ou granulado, disse que o processo de revisão contempla pedido feito no final de 2017, no qual informa que "a suspensão das sobretaxas e consequente aumento da importação de leite em pó dos dois países traria riscos e danos para a indústria láctea nacional". “A medida é um ponto de defesa comercial que o setor tem. Com um mercado consumidor como o nosso, e sendo União Europeia e Nova Zelândia dois dos maiores exportadores de leite em pó no mundo, faz-se necessário coibir ações desleais de comércio”, disse o assessor técnico da Comissão de Leite da CNA, Thiago Rodrigues. Segundo Rodrigues, o direito ao antidumping é algo que o setor entende como crucial para manter condições justas de mercado. “Medidas como esta são necessárias para equilibrar a relação de mercado. É preciso oferecer condições para o produtor brasileiro ter mais fôlego, melhorando sua capacidade produtiva.”
08/02/2018 (00:00)
Visitas no site:  190669
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.