Quinta-feira
15 de Novembro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,78 3,78
EURO 4,26 4,26
LIBRA ES ... 4,89 4,89
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Depois do não, tudo é assédio: em nota, comissões alertam sobre violência

A Comissão OAB Mulher e a Comissão de Segurança Pública da OAB/RJ lançaram nesta quarta-feira, dia 7, uma nota conjunta de alerta sobre o aumento do número de casos de violência contra a mulher com a proximidade do Carnaval. No texto, os grupos ressaltam a relevância de relatar episódios de assédio às autoridades policiais: "É extremamente importante que os casos sejam registrados, não só para a responsabilização do agressor, mas para que estatísticas mais fieis sejam elaboradas e, dessa forma, ações políticas e jurídicas possam ser implementadas", afirmam as comissões. Confira a nota na íntegra: Com a proximidade do Carnaval, as comissões OAB Mulher e de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro, alertam sobre o aumento do número de casos de violência contra a mulher, e a importância da notificação desses episódios às autoridades policiais competentes. Quando a chamada "cantada" passa dos limites do razoável e a mulher sente que de alguma forma seu corpo ou sua dignidade moral foram violadas, já é possível analisar a existência de uma ilicitude no ato realizado. Nesses casos, o procedimento adequado é registrar o fato ocorrido na delegacia de polícia mais próxima e, se possível, levar testemunhas que estavam presentes. Melhor ainda se um policial for localizado e conseguir conduzir o autor do fato até a sede policial. É extremamente importante que os casos sejam registrados, não só para a responsabilização do agressor, mas para que estatísticas mais fieis sejam elaboradas e, dessa forma, ações políticas e jurídicas possam ser implementadas. Para não restar dúvidas, se você ouviu um não, por favor, não insista. Depois do não, tudo é assédio. E assim todos poderão aproveitar a folia do carnaval da melhor forma possível. Comissão OAB Mulher da OAB/RJ Comissão de Segurança Pública da OAB/RJ
07/02/2018 (00:00)
Visitas no site:  185635
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.