Domingo
16 de Dezembro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
37ºC
Min
23ºC
Poss. de Panc. de Ch

Segunda-feira - Rio de...

Máx
37ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,91 3,91
EURO 4,41 4,41
LIBRA ES ... 4,90 4,91
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

'Da Pedra ao Palácio' - Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Numa visita conduzida por arte-educadores, o Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história, as funções e algumas curiosidades dos antigos Palácios da Justiça do Rio de Janeiro (1926) e de Niterói (1920). Voltado para crianças a partir de 10 anos, adolescentes e adultos de todas as idades, o programa estimula o visitante a refletir, cultivar e disseminar valores de Justiça. O CCMJ faz agendamentos de grupos de até 40 pessoas pelos telefones e/ou e-mails: 3133-3368 / ccmj.educativo@tjrj.jus.br (Rio); 3002-4284/ ccmj.niteroi@tjrj.jus.br (Niterói). De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes, estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade. A arquitetura da Casa da Justiça e o pensamento do Direito são fundados sobre essa mesma pedra. Dentro deste contexto, o visitante tem a chance de vivenciar a experiência de um júri simulado no Salão Histórico do I Tribunal do Júri; em outro espaço, ele é estimulado, a partir de um jogo com palavras, a pensar sobre a relatividade da verdade; o piso do palácio, formado por pedras brancas e pretas, transforma-se num grande tabuleiro, onde os pés dos visitantes são as peças de um jogo, conforme suas respostas sobre suas atitudes no seu dia-a-dia, em casa, na escola, no trabalho, na cidade, no convívio com regras sociais, eles colocar-se-ão nas pedras brancas ou pretas. Durante o percurso interativo desenvolvem-se temas em torno da Arte, Cultura, História, Memória, Educação, Justiça, Cidadania e Direito. De acordo com o grupo ou objetivo especial de cada visita, temas específicos podem ser explorados, tais como: violência, racismo, violência doméstica e contra a mulher, feminicídio, questões de gênero, bullying, linchamento virtual, drogas, sustentabilidade, adoção etc. O CCMJ estreou o programa em março de 2017, no Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro (APJ-Rio), e em maio do mesmo ano, no Antigo Palácio de Niterói (APJ-Niterói). “Da Pedra ao Palácio” recebeu em 107 sessões realizadas em 2017: 93 grupos; 2.876 participantes. Na pesquisa de opinião realizada com o público visitante, de 805 opiniões coletadas, o programa recebeu 738 (91,68%) elogios. “Da Pedra ao Palácio” propõe-se: estimular a apreciação estética dos edifícios construídos no início do século XX para abrigar a Casa da Justiça, a partir da monumentalidade das suas arquiteturas e do simbolismo dos seus ornamentos; provocar a reflexão sobre a construção do Direito e a compreensão do vasto mundo da Justiça e da sua importância para a convivência pacífica na sociedade; cultivar o interesse por temas ligados à história e ao funcionamento do Poder Judiciário; fortalecer o diálogo da sociedade com temas atuais e relevantes para o exercício da cidadania; disseminar valores de Justiça, contribuindo com a pacificação social; proporcionar ao visitante uma experiência lúdica num espaço histórico relevante da sua cidade, incentivando a sua participação na construção de uma sociedade mais fraterna, justa e pacificada. SERVIÇO APJ-Rio “Da Pedra ao Palácio”– Visita ao Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro (APJ-Rio) – GRÁTIS, com distribuição de senhas 15 minutos antes do inicio da sessão. O Museu da Justiça-Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta a visita mediada realizada por arte-educadores ao Antigo Palácio da Justiça do Rio (1926). Um percurso interativo ao encontro da Justiça. Lotação de 40 pessoas, recomendação etária a partir de 10 anos. Rua Dom Manuel 29, Centro. Em fevereiro: de segunda a sexta-feira entre 11 e 16h; no último sábado do mês, 24/2, às 16h; para agendamento de grupos e outras informações pelo telefone 3133-3548 ou pelo e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br. No carnaval entre 10 e 18 de fevereiro, não haverá visita. APJ-Niterói “Da Pedra ao Palácio”– Visita ao Antigo Palácio da Justiça Niterói (APJ-Niterói) – GRÁTIS, com distribuição de senhas 15 minutos antes do inicio da sessão. O Museu da Justiça-Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta a visita mediada realizada por arte-educadores ao Antigo Palácio da Justiça de Niterói (1920). Um percurso interativo ao encontro da Justiça. Lotação de 40 pessoas, recomendação etária a partir de 10 anos. APJ-Niterói, Praça da República, s/nº, Centro. Em fevereiro, de segunda a sexta-feira entre 11 e 16h; para agendamento de grupos e outras informações, pelo telefone 3002-4284 ou pelo e-mail ccmj.niteroi@tjrj.jus.br. No carnaval entre 10 e 18 de fevereiro, não haverá visita. Sobre o CCMJ O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário reúne as atividades museológicas e culturais promovidas pelo Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro. Sua missão é preservar e difundir a memória do Judiciário, além de cultivar e disseminar, por meio da cultura e da arte, valores de Justiça, contribuindo com a pacificação social. A Agenda Cultural do PJERJ promovida pelo CCMJ, desenvolvida desde janeiro de 2011, é gratuita e aberta ao público em geral e tem como objetivo principal fomentar a aliança saudável entre Judiciário e sociedade, enriquecendo e ampliando a atuação do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro como polo promotor de transformação social. A Agenda Cultural do CCMJ é oferecida nos antigos Palácios da Justiça do Rio de Janeiro e de Niterói. Fonte: CCMJ
08/02/2018 (00:00)
Visitas no site:  191880
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.