Terça-feira
20 de Fevereiro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
35ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Quarta-feira - Rio de ...

Máx
35ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,23 3,23
EURO 4,01 4,01
LIBRA ES ... 4,52 4,53
GUARANI 0,00 0,00

Últimas notícias

Acusado de extorsão mediante sequestro é condenado a 24 anos de prisão

Família de gerente de banco foi feita refém. Um homem foi condenado, sob a acusação de roubo, extorsão mediante sequestro e formação de quadrilha ou bando, a 24 anos e cinco meses de reclusão, no regime inicial fechado. Sua pena foi agravada por envolver uma criança de sete anos durante a execução dos delitos. A decisão é da 32ª Vara Criminal Central. Consta na denúncia que a vítima, gerente de um banco, voltava de seu trabalho quando foi abordada pelo réu e comparsas. Os integrantes da quadrilha obrigaram-no a seguir até seu apartamento e lá roubaram uma série de objetos e fizeram sua esposa e filho de reféns. Durante a ação o gerente permaneceu na garagem, em poder do réu. Durante todo o tempo teve uma arma apontada contra sua cabeça. Em seguida a família foi encapuzadas e levados até o cativeiro, onde permaneceram durante a noite. Pela manhã a vítima recebeu ordem de ir até o banco em que trabalha e sacar R$ 500 mil para pagar o resgate aa esposa e filho. No entanto, ao chegar à agência o gerente acionou a polícia e relatou o que se passava. As negociações levaram à libertação dos reféns sem que o resgate fosse pago. Algum tempo depois, a polícia desbaratou e prendeu uma quadrilha especializada em roubo a bancos. A vítima foi chamada à delegacia e reconheceu o acusado. Na fase de inquérito e em juízo o acusado negou qualquer participação no crime, afirmando ter sido reconhecido equivocadamente. Suas versões não foram suficientes para convencer o juiz Claudio Juliano Filho, pois “as vítimas ouvidas em juízo reconheceram o acusado sem sombra de dúvidas como um dos autores do delito”. Cabe recurso da sentença. Processo nº 0086972-27.2017.8.26.0050
05/02/2018 (00:00)
Visitas no site:  129383
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.